Associação de Angus e Embrapa de Bagé divulgarão projeto de fomento para raça

Associação de Angus e Embrapa de Bagé divulgarão projeto de fomento para raça

Com o objetivo de impactar 12 mil criadores nos próximos três anos, a Associação Brasileira de Angus e a Embrapa Pecuária Sul, de Bagé, assinam na segunda-feira (06/09) protocolo que dará início a um projeto de fomento a sistemas produtivos sustentáveis nos criatórios da raça Angus em solo brasileiro. A parceria entre as entidades será oficialmente firmada durante a Expointer, com transmissão pelo canal no YouTube e pelo Facebook da Angus e pelo YouTube da Embrapa, a partir das 18h. O documento será assinado pelo presidente da Angus, Nivaldo Dzyekanski, pelo vice-presidente do Programa Carne Angus Certificada, Milton Martins Moraes Filho, e pelo pesquisador e chefe-geral da Embrapa Pecuária Sul, Fernando Cardoso.

Fomento para os planteis

Para Dzyekanski, essa é mais uma importante parceria que deve contribuir para o desenvolvimento do rebanho Angus brasileiro. “Acreditamos que, com informações e pesquisas efetivas em mãos, os produtores podem desenvolver cada vez mais ações sustentáveis em seus plantéis. E esse é um dos objetivos do protocolo firmado com a Embrapa: desenvolver um plano de treinamento a fim de capacitar os criadores”, garantiu. Uma das ferramentas de informação que deve ser disponibilizada será uma cartilha virtual, que reunirá vídeo e técnicas de manejo sustentáveis. Além disso, dias de campo serão promovidos de forma a levar informação aos produtores e coletar novas linhas de pesquisa que colaborem com esse aperfeiçoamento de processos rumo a uma maior sustentabilidade.

Adoção de práticas

Já para o Chefe-geral da Embrapa Pecuária Sul, Fernando Cardoso é essencial esclarecer aos criadores que adotar práticas mais eficientes pode impactar positivamente nos resultados financeiros dos criatórios. “Engana-se quem acha que para implementar práticas sustentáveis é necessário investir alto. Muitas vezes, com práticas simples e de baixo custo, o produtor pode garantir uma produção de qualidade e, ao mesmo tempo, minimizar os impactos ao meio ambiente”, ponderou.

Com apoio dos produtores, a ideia é realizar medições dos diferentes sistemas de produção (a pasto, confinamento, semiconfinamento), mensurar o impacto da integração lavoura-pecuária, abrindo uma nova e potente fonte de informação para subsidiar o trabalho de campo. A iniciativa visa ainda expandir a busca por animais selecionados por eficiência alimentar e a integração funcional dos componentes nos sistemas integrados de pecuária, lavoura e floresta.

Crédito da imagem: Gabriel Oliveira/Especial Expresso Pampa

Campo Comunidade