Audiência pública em Dom Pedrito para tratar dos problemas no serviço da CEEE Equatorial

Audiência pública em Dom Pedrito para tratar dos problemas no serviço da CEEE Equatorial

Nesta quinta-feira (31), a partir das 14h, a Assembleia Legislativa do RS, através do Fórum Democrático de Desenvolvimento Regional, promove uma audiência pública para debater com a comunidade os problemas que estão sendo identificados na prestação de serviços de energia na região da Campanha gaúcha. O evento será no CTG Rodeio da Fronteira (rua Brigadeiro Camilo Mércio, 1191, no centro de Dom Pedrito) e contará com a presença do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdeci Oliveira. A reunião foi proposta pelo deputado Luiz Fernando Mainardi (PT). A empresa prestadora dos serviços, CEEE Equatorial, foi convidada a prestar esclarecimentos na audiência.

Privatizada no ano passado pelo governo Eduardo Leite, a antiga CEEE-D, agora CEEE Equatorial, tem sido alvo de muitas reclamações. Nas áreas rurais, os problemas são ainda mais frequentes, afetando o trabalho nas lavouras e na pecuária. Outra reclamação dos consumidores é da queima de equipamentos eletrônicos nas frequentes quedas de luz e falta de atendimento nos canais de comunicação da empresa para possíveis ressarcimentos e informações de retorno do abastecimento. Em compensação às falhas no serviço, a CEEE Equatorial informou um lucro de R$ 4,3 bilhões em 2021.

Proponente da audiência pública, o deputado Mainardi critica a falta de atenção da empresa privada com os consumidores. “A Equatorial precisa dar respostas à população. É inadmissível que o serviço seja interrompido por tanto tempo e não exista um canal claro de diálogo com quem está desassistido. Muitas pessoas perderam eletrodomésticos e ainda não obtiveram resposta para um ressarcimento, se é que terão. É urgente que a empresa preste contas e atenda a todos que foram lesados.”, afirmou.

A audiência pública contará com representações políticas de Dom Pedrito, Bagé, Santana do Livramento, Caçapava do Sul, Lavras do Sul, Hulha Negra, Aceguá e Pinheiro Machado e será aberta ao público.

+Política Cidades Comunidade