Bagé propõe criação da Secretaria da Mulher

Bagé propõe criação da Secretaria da Mulher

Em evento realizado pela Coordenadoria da Mulher e Diversidade, realizado nesta quinta-feira (17), o prefeito Divaldo Lara externou que, em abril, submeterá à Câmara de Vereadores o indicativo para a criação da Secretaria da Mulher. A pasta deverá prosseguir com o trabalho de fortalecimento das políticas públicas para mulheres realizado no município, que é referência no Estado.
“O apoio que damos à Coordenadoria foi conquistado pelos resultados que ela apresenta na conscientização do que é política para mulheres. Um trabalho que hoje é realizado por voluntárias, sem quadro técnico próprio ou setores definidos, mas nos queremos que seja, não uma política de Governo, mas de cidade, que transpasse governos”, afirmou Divaldo Lara, que parabenizou Cândida Navarro, à frente da Coordenadoria, pelo trabalho de estruturação das políticas para esse público.
Cândida, por sua vez, agradeceu ao chefe do Executivo pelo apoio à causa. “Quando uma mulher sofre violência, toda a família se machuca. Assim, o que fazemos pelas mulheres é feito pela família bageense. E nós estamos sempre reunidos pelo fortalecimento dessa assistência”, afirmou.
De acordo com a Coordenadora, no Estado, uma mulher é agredida a cada 30 minutos. Em Bagé, em média, são feitos seis acolhimentos por dia, seja de vítimas encaminhadas por órgão da rede pública ou por busca espontânea.

Evento
O anúncio da criação da Secretaria da Mulher foi realizado no 4º Encontro Tecendo as Redes Públicas de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, ocorrido na tarde desta quinta-feira (17), no auditório do Senac. O evento faz parte do projeto “Desconstruindo a violência, promovendo o diálogo”, um convênio entre o estado e o município para identificar e combater a violência no município de Bagé.
O Encontro contou com palestra da diretora de Políticas Públicas para Mulheres do Rio Grande do Sul, Bianca Feijó. Em sua apresentação, ela afirmou que, em suas viagens por todo o Rio Grande do Sul, percebe uma dificuldade do Executivo de investir nessa política pública, com alguns negando até o recebimento de recursos para esse tipo de atendimento. “Bagé é um dos poucos municípios, são apenas 26 num total de 497, que tem um Centro de Referência para Mulheres e tem um trabalho forte nesse sentido”, afirmou.

Comunidade