Bagé tem detecções positivas para variante P.1 da covid-19

Bagé tem detecções positivas para variante P.1 da covid-19

Bagé teve primeiros registros de linhagem agressiva originada em Manaus

Pela primeira vez desde o início da pandemia, amostras de testes positivos para a covid-19 na região da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde apontam que uma das variantes mais transmissíveis e letais do vírus SARS-CoV-2 está em circulação na região dos municípios de Aceguá, Bagé, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul. Os dados foram divulgados no 5º Boletim Genômico da Covid-19, pela Secretaria Estadual da Saúde, em 16 de abril.

De acordo com o estudo, na região circulam as variantes B.1.1.33, B.1.1.143, além do temido subtipo conhecido como “variante de Manaus”, a P.1, que teve 90 detecções positivas no Estado, o que representa um aumento de 60,11% em relação aos dados da pesquisa anterior.

Conforme o boletim, a variante P.1 foi detectada pela primeira vez em novembro de 2020 em Manaus e estudos recentes indicam que a cepa é capaz de se replicar e ser transmitida mais rapidamente, além de existirem indícios da capacidade da P.1 ser capaz de escapar das defesas do organismo. A circulação da variante P.1 já foi identificada em pelo menos 22 estados brasileiros e até a última atualização, era predominantemente registrada na região da Serra Gaúcha, região Metropolitana, Planalto e Litoral.

Além de Bagé  e região, a presença da variante mais agressiva do vírus também foi verificada em Rosário do Sul, Alegrete e Pelotas.

Efeito carnaval

No mês de fevereiro, período expressivo da linhagem de preocupação P.1, teve a consolidação de seu predomínio observada no mês de março. Desde a primeira identificação em 14/01/2021 na região serrana do estado, a linhagem P.1 foi, até o momento, identificada em 24 municípios gaúchos em diferentes regiões do estado. Distribuição das diferentes linhagens nos diferentes meses de coleta das amostras.

As datas coincidem com as saídas para viagens durante o período de carnaval, que após o retorno das famílias aos municípios de origem, deram início a um novo ciclo de disseminação desenfreada da nova variante, que levou a números recordes de infecções, internações e óbitos em todo o Estado.

Nesta edição do Boletim, registrou-se a ocorrência pela primeira vez nas cidades de: Alegrete, Arvorezinha, Bagé, Boqueirão do Leão, Capela de Santana, Carazinho, Caxias do Sul, Ivoti, Lajeado, Xavier, Rosário do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Rosa, São Borja, São Jerônimo, Taquara, Teutônia, Tramandaí, Três Cachoeiras e Veranópolis.

+Saúde Capa Cidades Comunidade Covid-19