Bageense busca apoio para participar de seleção em São Paulo

Bageense busca apoio para participar de seleção em São Paulo

Fernanda de Deus Salazart, atriz e modelo, 17 anos busca apoio para participar de uma seleção de modelos em São Paulo. A jovem bageense sempre sonhou em ser atriz e modelo. Para realizar a viagem, Fernanda está realizando um almoço beneficente que será entregue no dia 12 deste mês. Conheça um pouco sobre a história desta jovem mulher, mãe, guerreira e sonhadora.

Trajetória

“Eu sempre quis ser atriz, com meus 13 anos passei em uma agência como modelo e atriz. As agências têm essa vantagem, tu podes entrar como modelo e se tornar atriz, e vice-versa. Eu tendo meu DRT (carteira de trabalho para artista) eu me torno profissional. Assim posso fazer comerciais de televisão, novelas, filmes… no ramo da moda posso fazer trabalhos grandes, como capa de revista, trabalhos para fora do país”, explica Fernanda.

Fernanda relata que aos 13 anos cantava Rap, assim unia esse sonho com a moda e o teatro. Porém, parou de cantar por falta de incentivo. “A música continua viva dentro de mim, mas no momento meu foco é me tornar atriz e tentar a sorte como modelo”, fala.

De acordo com Fernanda, aos 15 anos engravidou. “Desde este momento prometi a mim mesma que não iria parar. Aos 17 anos eu fui selecionada pela Dilson Stein a qual hoje eu tenho um contrato por 3 anos de agenciamento”, relata.

A profissional comenta que para conseguir este contrato teve que se desdobrar. “Eu tinha horas e não dias para ter o dinheiro em mão. Procurei serviços, vendi minhas roupas, consegui apoio de uma amiga. Mas nada era o suficiente, até que de noite meu pai havia conseguido com o patrão dele uma parte do salário antecipado. Tínhamos até de noite para fazer o depósito pois havia só uma vaga, então fomos no banco. Eu já havia entregado nas mãos de Deus, que se fosse para ser seria, se não fosse, amém. Chegamos no banco eu tinha esquecido a máscara, fomos na farmácia e quando voltamos o banco já havia fechado. Por Deus tinha um casal dentro do banco e, a partir deste momento começou a dar certo”, frisa.

O evento para o qual Fernanda está buscando apoio é uma seleção em São Paulo, que ocorrerá no dia 11 deste mês. “Até o momento consegui o valor completo do evento, ainda falta as passagens e despesas”, salienta.

Para custear os gastos, a jovem está realizando um almoço beneficente. O valor do prato é R$ 15,00. O cardápio será carreteiro com feijoada e a entrega dos pratos será no dia 12, no Centro Alternativo de Educação, endereço Rua Clélia Gomes Araújo  587  Bairro Malafaia. “Boa parte de quem está realizando a compra do almoço fará doações”, diz.

Quem puder ajudar, Fernanda disponibilizou seu número para contato (53) 999 073 946 e, também através do pix [email protected]

 

Obstáculos

Fernanda mora em uma localidade de vulnerabilidade, destaca que ser mulher negra não a torna nem um pouco menos profissional. “Nós temos que reconhecer o nosso valor. Acredito que nem é o bairro, são as pessoas. Eu posso ser de onde for, se eu não tiver reconhecimento não serei valorizada”, aponta.

A jovem fala que alguns bageenses tem o ponto de vista egoísta. “Eles pensam em ganhar em cima com pessoas que já tenham visibilidade, muitas vezes não é só visibilidade, popularidade, e sim o nome e sobrenome. Eles preferem pagar um cachê alto para quem tem sobrenome e não tem profissionalismo. Do que pagar esse mesmo cachê para quem tem profissionalismo e não tem sobrenome (reconhecido). Não é o bairro, não é a cidade, e sim as oportunidades”, finaliza.

 

Cidades Comunidade Especial