Fisioterapeutas de Bagé se manifestam por falta de inclusão entre grupos prioritários para vacinas

Fisioterapeutas de Bagé se manifestam por falta de inclusão entre grupos prioritários para vacinas

Um grupo de 62 profissionais fisioterapeutas que atuam em Bagé e região enviaram uma nota de repúdio ao Expresso Pampa, onde manifestam a falta de critério e a necessidade de inclusão da categoria entre os profissionais de saúde prioritários na fila da vacinação para deter a pandemia por coronavírus.

De acordo com o grupo, além de se tratar de uma especialidade que lida com os efeitos de longo prazo da doença, muitos profissionais ficam impedidos de trabalhar e oferecer os serviços à comunidade no momento mais crítico da pandemia, devido à falta de oferta de vacinas para a categoria.

A ação diz respeito às políticas atuais de vacinação em vigor no Estado e no Município de Bagé, conforme segue:

 – Nós, Fisioterapeutas, atuantes, legalmente registrados nos órgãos regulamentadores de nossa profissão, secretarias de Saúde estadual e/ou municipal, contribuintes em dia, abaixo assinados, vimos por meio desta manifestar o nosso veemente repúdio na forma como está sendo conduzido e não esclarecido a dinâmica de Imunização para o COVID 19.

Entendemos e, não queremos desmerecer qualquer outra categoria que por ventura já tenha sido imunizado, pois acreditamos que todos somos importantes e necessários.

Entretanto, salientamos que como agentes da atenção primária estamos tanto nos domicílios, quanto em nossas clínicas, consultórios e instituições atuando em prol da recuperação ou manutenção da saúde de nossos pacientes.

Gostaríamos de lembrar que a Campanha do Ministério da Saúde, bem como OMS coloca nossa profissão no primeiro grupo de Imunização exatamente por observar que nossas atribuições são de extrema importância para a recuperação funcional das capacidades ventilatórias, circulatórias, musculoesqueléticas dentre outras que irão reduzir hospitalizações e abreviar a recuperação do indivíduo promovendo seu retorno as rotinas diárias.

Lembramos também que além das afecções relacionadas diretamente a COVID 19 temos as alterações relacionadas as atividades em Home CARE, situações de stress físico que refletem em patologias de dor, imobilidades, afecções crônicas antecedentes a pandemia …. Em todas as nossas competência estamos diretamente em contato com nossos pacientes no toque, na percepção das alterações faciais e corporais.

Desta forma, fica a insegurança e preocupação tanto com a segurança biológica do profissional, de nossos colaboradores e de nosso cliente visto que até o presente momento, mesmo buscando contato com autoridades responsáveis não temos ideia de uma possível data de imunização.

Esclarecemos que temos contatos com pacientes pós COVID19, classe médica que permeia junto aos focos, nos tornando desta forma frágeis e prováveis vetores.

Está chegando o momento em que, contra nossa vontade, não poderemos seguir assistindo a todos que nos procuram ou precisaremos selecionar a quem iremos dedicar nossos conhecimentos para garantir nossa saúde comprometendo a pronta recuperação destes clientes e nossos rendimentos.

Estamos fazendo nossa parte e gostaríamos que as referidas autoridades responsáveis pudessem fazer a sua.

Posto isso, segue abaixo-assinado a lista de Profissionais Fisioterapeutas que até o presente momento não recebeu Imunização alguma e aqueles institucionalizados que já o foram devidamente vacinados que prestam aqui seu apoio.

Contraponto

Por sua vez, a Secretaria Municipal de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência declarou ter recebido com surpresa a carta de repúdio em nome dos profissionais de saúde da área da Fisioterapia.
Em resposta à carta, o secretário de saúde, Geraldo Gomes, disse que os fisioterapeutas, assim como as demais classes da linha de frente da área da saúde, estariam “sendo vacinados gradativamente”. “Não podemos desprezar nem priorizar nenhuma classe da linha de frente da saúde. Todos os fisioterapeutas estão sendo vacinados de forma gradual, assim como os demais”, pontuou.
“Até o momento, três mil profissionais de saúde já foram vacinados no município, segundo dados da Secretaria. As doses estão chegando gradativamente à cidade, assim como em todo o país, e tão logo chegam são rapidamente distribuídas para aplicação aos diferentes públicos prioritários, que neste momento são os profissionais da linha de frente da saúde e idosos”.
O secretário ressaltou, ainda, que a Secretaria permanece à disposição para esclarecimentos da população sempre que necessário.

 

+Saúde Cidades Comunidade Covid-19