Flávia Marzola da Silveira diz que nunca teve dúvidas sobre a escolha de ser médica

Flávia Marzola da Silveira diz que nunca teve dúvidas sobre a escolha de ser médica

A médica Flávia Marzola da Silveira, 56 anos, é formada na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), residência em Medicina Interna no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e em Pneumologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Possui título de Especialista em Endoscopia Respiratória pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Pereoral. Mestrado em Pneumologia pela URGS e atualmente trabalha na 7ª Coordenadoria Regional de Saúde no setor de Vigilância Epidemiológica e Núcleo de Informações em Saúde, plantonista da UTI Adulto da Santa Casa de Caridade de Bagé e também atende em seu consultório.

A médica diz que vê a atuação/participação da mulher na sociedade atual como algo natural, em que as pessoas ocupam os espaços de acordo com as demandas, habilidades e conhecimentos. “Não sou uma ativista, não seguro bandeira feminista ou anti-feminista, mas acho que a forma de pensar e agir entre os sexos é sim diferente, mas competência não é prerrogativa de apenas um deles”, salientou.

“Eu desde quando lembro, muito pequena, sempre quando perguntavam, eu respondia que seria médica. Não sei dizer o que motivou, não tinha familiares, nem amigos que me influenciassem e nunca tive dúvida quanto à escolha”, enfatizou.

Quanto aos desafios, Flávia destaca que em um mundo tão competitivo, com informações tão rápidas, é continuar atualizada para proporcionar aos pacientes o que de melhor existe em conduta médica. Porém, não ficar automatizada a ponto de perder a empatia e não me colocar no lugar do paciente, não subestimar sua dor e não perceber o mínimo que ele espera em uma abordagem médica”, informou.

A médica Flávia Marzola da Silveira finaliza com uma mensagem a todos os cidadãos, de todas as cidades, estados e país. “Cuide-se e cuide, usando máscara, álcool gel e lavando as mãos”, encerrou.

Comunidade Dia da Mulher Especial