Governo do Estado determina suspensão total das atividades a partir das 20h

Governo do Estado determina suspensão total das atividades a partir das 20h

Gestor manifestou extrema preocupação com situação da pandemia

Imagem: Reprodução / Expresso Pampa

Em transmissão on-line realizada do Palácio Piratini, o governador Eduardo Leite declarou que até sexta-feira, 26 de fevereiro, todas as atividades devam ser suspensas, entre as 20h, até às 5h do dia seguinte. No entanto, o chefe do Executivo disse que não se trata de um toque de recolher. A ação, segundo ele, se deve ao aumento descontrolado de novos casos de covid-19 e a superlotação das UTIs em diversos pontos do Estado.

“O risco da falta de atendimento é real”, alertou o governador. Conforme ele, a disponibilidade de leitos caiu quase pela metade nas últimas semanas. Ele ainda fez um apelo aos prefeitos para que se intensifique as campanhas de fiscalização. “Se for necessário, não nos furtaremos de tomar medidas ainda mais restritivas”, afirmou.

Na quinta-feira, Leite anunciou uma nova rodada de conversas com os prefeitos de todo o Estado, para alinhar as ações no momento mais crítico da pandemia no Rio Grande do Sul.

Ainda sobre os municípios, Leite disse que existe a necessidade do engajamento dos municípios para implementação de restrições imediatas de restrições de circulação em todo o território gaúcho a partir das 20h: “Nós ainda trabalhamos em cogestão com os municípios e a reunião de quinta-feira será mais um passo para alinhar essas ações”.

Bandeira Vermelha

Desta vez, o governador confirmou que o Comitê de Crise não atendeu a nenhum dos 10 pedidos de reconsideração das bandeiras encaminhadas pelos municípios do Estado. Portanto, Bagé e região – Aceguá, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul – deverão permanecer durante esta semana em bandeira vermelha.

A titular da Secretaria Estadual da Saúde, Arita Bergmann, declarou que o Rio Grande do Sul atingiu o pior momento durante toda a pandemia até o momento. “De janeiro para cá, o que podemos dizer é que o cenário é absolutamente assustador”, sustentou.

Arita também ressaltou que foram abertas novas vagas em leitos hospitalares, contudo, o Estado não consegue mais acompanhar a disseminação dos casos e os números de internações atual. “Todas as medidas

Cogestão

Na reunião com a Famurs e associações regionais, os representantes pediram pela manutenção da cogestão do Distanciamento Controlado – na qual as regiões que decidirem aderir podem adotar protocolos próprios desde que não menos restritos que os protocolos da bandeira anterior (por exemplo, regiões em bandeira preta podem adotar protocolos de bandeira vermelha). Nesta rodada, das 21 regiões Covid, 19 fazem parte do sistema compartilhado. As exceções são Guaíba e Santa Maria.

O Gabinete de Crise decidiu manter a cogestão regional mediante algumas alterações e maiores restrições. Uma delas foi a ampliação do horário da suspensão geral de atividades, que havia sido anunciada na sexta-feira (19/2), com início a partir das 22h. Agora, o horário passa a ser desde as 20h, incluindo as mesmas atividades.

Devem estar fechados, sem público ou clientes, estabelecimentos de atendimento ao público, reuniões, eventos, aglomerações e circulação de pessoas tanto em áreas internas quanto externas, em ambientes públicos ou privados.

As exceções devem ser mantidas: farmácias, hospitais e clínicas médicas, serviços funerários, serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro, assistência social e atendimento à população vulnerável, hotéis e similares, postos de combustíveis e estabelecimentos dedicados à alimentação e hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, estabelecimentos que funcionem em modalidade exclusiva de tele-entrega e Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa). A suspensão geral também não atinge atividades industriais noturnas.

Planejamento da fiscalização

A outra medida anunciada pelo governador é a necessidade de as associações regionais e prefeituras atualizarem seus planos regionais de cogestão, incluindo um detalhamento de como se dará a fiscalização nos municípios. A intenção é coibir aglomerações, o descumprimento da suspensão geral de atividades e outras medidas necessárias para conter a disseminação do vírus.

“Os prefeitos são determinantes no processo de fiscalização. Se vamos manter a cogestão, precisamos do compromisso de todos para que a fiscalização seja exercida com muito rigor. Precisa ter um caráter pedagógico, com visibilidade. Se não atuarmos com rigor, pode ser que, logo adiante, não seja possível interromper o sistema de colapso no sistema de saúde. Não é um alarme falso ou um teste: é preciso que os municípios se debruçam com total dedicação para exercer a fiscalização”, alertou Leite.

As forças da Segurança Pública estão em esforço concentrado nas ruas para evitar aglomerações. Neste fim de semana, foi preciso realizar abordagens em quase 300 estabelecimentos abertos após o horário determinado.

“Nossos agentes precisaram desmobilizar quase 200 ocorrências de aglomeração e cerca de 50 festas clandestinas. E a ocupação dos leitos, tanto clínicos quanto de UTI, segue aumentando. A população precisa compreender que nunca a situação da pandemia esteve tão grave. Assim como já fizemos nesses dois primeiros dias, estaremos em total mobilização para garantir a efetividade da medida preventiva, sempre iniciando pelo diálogo. Mas não vamos hesitar em agir de forma mais firme e autuar aqueles que insistirem no descumprimento”, garantiu o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.

Ensino presencial na bandeira preta

O governo do Estado acatou pedido dos prefeitos para a manutenção das aulas presenciais na bandeira preta para a Educação Infantil e os 1º e 2º anos do Ensino Fundamental, considerando a dificuldade que os pais encontram por não ter com quem deixar os filhos quando saem para trabalhar e a dificuldade de efetiva alfabetização das crianças em aulas virtuais.

Para os demais níveis de ensino, as atividades presenciais seguem proibidas em regiões com bandeira preta. As atividades de ensino presencial não podem ser definidas pelo sistema de cogestão regional.

As mudanças, tanto no horário de suspensão das atividades, como do funcionamento da cogestão regional e das escolas, devem ser publicadas em decretos ainda nesta segunda-feira (22), para que possam valer a partir de terça (23), juntamente com o mapa definitivo da 42ª rodada.

Capa Cidades Comunidade Covid-19 No fio da Notícia