Mais de 53% das mortes por Covid-19 em Bagé são de mulheres

Mais de 53% das mortes por Covid-19 em Bagé são de mulheres

Dados da Secretaria Estadual de Saúde até o dia 11 de março

A infecção pelo vírus SARS-CoV-2 causa a Covid-19 (do inglês, Coronavirus Disease 2019), cujos principais sintomas são febre, fadiga e tosse seca, podendo evoluir para dispneia ou, em casos mais graves, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Esse vírus já fez milhões de vítimas no país, somente na região da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde são 128 mortes, até a quinta-feira, dia 11. Reportagem publicada no jornal Tribuna do Pampa.

Bagé, a maior cidade da região, contabilizava 98 pessoas que perderam a luta para o novo coronavírus até o dia da pesquisa. O perfil dos infectados pelo coronavírus, em Bagé, mostra que a maioria é de mulheres. Os homens representam 46,94% das mortes. Até o dia 11 de março, 52 mulheres perderam a vida vítimas do vírus. Isso representa 53,06%. E homens foram 46. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Idades – As faixas etárias mais atingidas pelo coronavírus foram idosos de 60 a 69 anos e de 80 ou mais. De 20 a 29 anos, uma vítima; de 30 a 39 anos, uma vítima; de 40 a 49 anos, foram sete vítimas, de 50 a 59 anos, 12 vítimas; de 60 a 69 anos, 27 vítimas; de 70 a 79 anos, 22 vítimas e de 80 ou mais, foram 28 mortos.

Entre os 98 óbitos, 90 foram de pessoas com comorbidades e 8 óbitos não foram informadas doenças pré-existentes, ou não tinham diagnóstico prévio, ou poderiam ser pacientes saudáveis. Os dados apontam que os idosos foram as maiores vítimas.

Um ano de pandemia – Em 11 de março de 2020, Tedros Adhanom, diretor geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), declarou que a organização elevou o estado da contaminação à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).  Um ano depois, o país está em colapso e o Rio Grande do Sul é um dos estados mais afetados. A busca por leitos supera o número de vagas.

Mais de 273 mil mortos no Brasil – O Brasil não para de bater recordes, infelizmente, recordes que deixa as pessoas tristes. A cada dia, o país aumenta o número de mortes diárias por Covid-19 e também aumenta o número de infectados. Na maior cidade da região, até a atualização do dia 11 de março, eram quase 5 mil casos confirmados. Com isso, inclusive, os leitos de UTI/Covid estavam lotados. Tanto que, estão sendo utilizados leitos de UTI que seriam para outras doenças.

Política e empatia – Muito se ouve, principalmente nas redes sociais, que a “culpa” do agravamento e aumento de casos confirmados e mortes por Covid-19 é culpa das pessoas. Outros dizem que é culpa dos governos. Mas será que não dá para encontrar um meio termo. E se pensarmos na palavra empatia. Que tal se colocar no lugar do outro. Se você não quer para você, cuide-se e cuide do próximo. E sim, os governos tem responsabilidades. Foram eleitos para serem governantes, gestores e defensores do povo. O que é pior que não ter saúde? Ou será que para muitos políticos é melhor manter as aparências para ficar bem com os seus eleitores. Será que seu papel não deveria ser pensar na sociedade como um todo?

O que esperar? No dia que a pandemia completou 1 ano no Brasil, tivemos um político, eleito para defender o povo, dizendo palavras chulas sobre o uso de máscara. Isso que não é novidade para ninguém que o uso de máscara, o álcool gel e o distanciamento social são importantes “armas” para prevenir e não se infectar com o SARS-CoV-2.

+Saúde Comunidade Covid-19