Marcenaria: Dom Martelo agora Spotify

Marcenaria: Dom Martelo agora Spotify

Para os amantes da marcenaria e aos que a fazem por prazer ao ofício, Dom Martelo chega trazendo uma novidade na área. André Souza, 41 anos, marceneiro, 22 anos atuando neste ramo, explica que aprendeu a arte da marcenaria desde pequeno. “O meu pai fazia marcenaria, então eu aprendi com os antigos, e é isso que quero trazer de volta” diz.

Para Souza, a importância deste projeto é poder estar na casa dos ouvintes, levando a marcenaria de qualidade com o básico, apenas com o que a maioria tem em casa.

Podcast

Em sua principal rede de comunicação, o Instagram,  Dom Martelo conta com mais de dois mil seguidores e foi neste meio que surgiu a ideia sugerida por seguidores: o marceneiro realizar podcast para a plataforma digital Spotify. “Eu trago soluções simples e práticas para meus seguidores quando surge uma dúvida, foi assim que nasceu a ideia de fazer os podcast de um jeito leve e debochado”, fala.

Atualmente, neste projeto mais quatro pessoas estão envolvidas, sendo duas de São Paulo e duas de Porto Alegre. “A marcenaria tem se tornado elitista, muitos fazem pelo estrelismo, se perdeu a essência e queremos trazer de volta isto. Esse projeto busca estar dentro da casa de quem precisa, de quem ouve, quem passa perrengue e poder ajudar, auxiliar”, destaca.

A ideia é que os podcast sejam semanais. “Vamos ver qual vai ser o alcance, se o pessoal vai gostar. Nossa ideia é realizar entrevistas gravadas e ao vivo. Outra questão que o trabalhador visa trazer a estes encontros, é o olhar sob as mulheres, as esposas dos marceneiros. “Falam muito sobre o marceneiro homem, mas, e as mulheres? Nesse meio parece que elas não são bem-vindas, queremos mostrar que todos podem exercer”, expõe.

Desafios

Conforme o marceneiro, em grande parte seus investidores são de fora do município. “Quando busquei por apoio ninguém ajudou, então fui fazendo meu trabalho por gostar, por querer trazer um diferencial e com esse meu jeito fui conquistando pessoas que curtem o meu trabalho. Hoje pessoas de fora do país enviam presentes e materiais para agregar na marcenaria, esse reconhecimento é muito bom”, aponta.

Segundo André, esse trabalho não é muito reconhecido, assim é necessário buscar o diferencial. “Muitos buscam apenas aparecer, deixam o essencial de lado. Existem cursos caríssimos, com máquinas caríssimas, sendo que os melhores trabalhos surgem do básico e com paciência”, ressalta.

 

Método Dom Martelo

De acordo com André, seguidores mais antigos e que já trocam ideias há algum tempo buscar vir conhecer o local e trocar conhecimento sobre o ofício. “Embora eu não mostre o meu rosto e isso seja um mistério, seguidores que apenas ouvem a minha voz buscam vir conhecer o espaço e conhecer o método Dom Martelo, eles virão pelo meu trabalho”, relata.

No próximo mês, relata o trabalhador, virá um seguidor de Salvador. “Nós trocamos uma ideia já faz um tempo e como ele virá para o Sul, vai aproveitar a oportunidade para conhecer o espaço”, destaca.

Guilherme Schallenbach, que também trabalha com marcenaria, virá em fevereiro conhecer o local e o método Dom Martelo. “Como eu já irei para o Sul achei a oportunidade para ir conhecer o espaço e trocar uma ideia sobre marcenaria. Já conversamos pelo Instagram faz um tempo, mas ter essa troca pessoalmente será incrível”, diz.

 

Cidades Comunidade Exclusivo