Querem privatizar né? O retrocesso energético!

Querem privatizar né? O retrocesso energético!

Se a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) sucateada da maneira que estava não prestava um bom atendimento aos seus clientes, a Equatorial Energia conseguiu “novas façanhas”: piorar muito a qualidade dos serviços prestados.

O fornecimento de energia elétrica na região da Campanha está um caos. Vejo seguidamente, internautas de diversas cidades da região reclamando da queda de energia. Bagé, Lavras do Sul, Dom Pedrito, Pinheiro Machado, entre outras.

A Equatorial Energia tem apresentado dificuldades em manter o fornecimento na região e isso gera prejuízos. Quem paga a conta? Nós, os clientes! É um desrespeito com o consumidor.  São famílias perdendo seus alimentos e empresas deixando de produzir. Sem falar nos eletrodomésticos que estragam devido ao vai e volta de energia. E essa conta, quem vai pagar?

Imaginem o que muitas famílias passaram nesses dias quentes que assolaram nossa região. E em algumas cidades que a falta de luz veio junto a falta de água. É para os fortes né?

Mas e aí, até quando a população terá que aguentar isso. Espero que, pelo menos, não enfrente calada. Já pensaram aqueles trabalhadores de comércio como padarias, por exemplo, que não tem outra opção. Perdem a produção de pães? E ninguém arca com o prejuízo, a não ser o próprio trabalhador.

Privatização é o processo venda de uma empresa ou instituição pública para a iniciativa privada juntamente com a sua responsabilidade de prestação de seus serviços. As privatizações são geralmente realizadas por meio de leilões públicos.

– E vem mais… Correios, Banrisul, Corsan, Eletrobras(…)!

O termo privatização consiste na transferência de um bem ou direito para outra pessoa. Segundo a Lei nº 9.491, de 9 de setembro de 1997, que alterou os procedimentos relativos ao Programa Nacional de Desestatização (PND), a alienação de bens e/ou da participação societária é uma das formas possíveis (entre outras) para a União realizar essa cessão de responsabilidade e atribuições aos entes privados.

Dessa maneira, o Estado deixa de ser responsável pela administração do bem público e/ou das suas ações, e o setor privado passa a deter a propriedade integral sobre o ativo, transferido permanentemente pelo poder público.

Um dia, em 2021, meu avô no auge dos seus 90 anos de experiência e ativismo, usou a tribuna da Câmara de Vereadores de Lavras do Sul, durante uma audiência pública, para defender que a Corsan NÃO deve ser privatizada. Na ocasião ele disse: “Sou contra a privatização de um bem público. Quando um gestor quer privatizar é por que não tem competência para administrar”.

É isso! Não preciso nem dizer que concordo 100%.

Por que privatizar? Não vai resolver nada os problemas econômicos. O que pode resolver é geração de emprego e renda. Qual o plano dos governos para isso? É um tema para ser debatido e pensado.

Que possamos lutar por nossos direitos e exercer nossa cidadania. Afinal, a ditadura acabou. Cabe pressionar aqueles que depositamos nosso voto de confiança. É papel deles defender quem os elegeu. #ficadica

Uma excelente semana e cuidem-se. A pandemia não acabou!

No Fio da Notícia_