Região já contabiliza mais mortes por covid-19 que em todo o ano de 2020

Região já contabiliza mais mortes por covid-19 que em todo o ano de 2020

Uma pesquisa exclusiva do Expresso Pampa junto aos dados da Secretaria Estadual da Saúde revela que já morreram mais pessoas na região por covid-19 em 2021 que em todo o ano passado. O somatório de vítimas até o momento mostra que enquanto que esta reportagem era escrita, os seis municípios da região de abrangência da 7ª Coordenadoria Regional da Saúde – Aceguá, Bagé, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul já contabilizam 73 óbitos neste ano, diante de 65 ocorridos em 2020.

Isso quer dizer que em 74 dias deste ano, cinco entre seis municípios – Aceguá ainda não registrou nenhuma morte decorrente da pandemia – já foram excedidos em 12,3% os números equivalentes a 287 dias desde o primeiro caso registrado na região, no ano passado – a primeira notificação de caso positivo aconteceu em 19 de março de 2020 e a primeira morte foi registrada em Dom Pedrito, em 26 de abril.

Resultados igualados em 70 dias

Isso quer dizer que em um espaço de 70 dias – entre 1º de janeiro e 12 de março, quando ocorreu o 65º óbito de 2021-, a região igualou os resultados do ano passado – de 19 de março a 31 de dezembro de 2020 decorreram nove meses e 12 dias.

Os números também indicam que o dia mais fatídico para a região durante pandemia até o momento aconteceu na segunda-feira, 8 de março, há pouco mais de uma semana, quando foram notificados cinco óbitos.

Análise preliminar

Os dados, que já indicam que 2021 está ainda pior que o ano passado em relação aos números da pandemia, mostram projeções ainda mais desalentadoras.

Isso porque caso as taxas de contaminação, internações e óbitos se mantenham no atual patamar; além da vacinação ocorrer em uma taxa muito inferior à evolução da pandemia, a tendência é que em 74 dias a partir de hoje, a região poderá até dobrar o número de vidas perdidas para o vírus SARS-CoV-2, com 146 óbitos no total, o que representaria 124,61% a mais que todas as mortes associadas à pandemia no ano passado.

Os dados da região também refletem a atual situação do Rio Grande do Sul na Pandemia. Hoje, a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid chega a 109,2%, enquanto somente nestes últimos 16 dias, o Estado já contabilizou 2.360 mortes associadas à covid-19, mais que qualquer outro período desde que a situação pandêmica teve início.

Para se ter uma ideia de proporção, somente nos 16 dias decorridos de março, o Rio Grande do Sul conseguiu superar em 285 o número de mortes acumulados entre março e julho de 2020 – quando totalizava 2.075 óbitos pela doença.

Com 15.104 mortes notificadas até a tarde de hoje, o território gaúcho, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, tem mais óbitos que países como Holanda (13.827) e chega próximo à situação do Equador, com 16.250 vidas perdidas. Se fosse um país, estaria hoje na 29ª posição entre os que mais registraram mortes até o momento, entre 192 nações e territórios espalhados pelo globo. Vale também dizer que no ano passado, imagens de corpos nas ruas das maiores cidades do Equador correram o mundo e chocaram a população. Hoje, se nada mudar esta situação, poderemos ser os próximos.

+Saúde Capa Cidades Comunidade Covid-19